Com indicação de Trump ao Prêmio Nobel da Paz, esquerda teme que Bolsonaro seja o próximo

09/09/2020

A rede de TV Fox News anunciou em reportagem a indicação do presidente americano Trump ao Prêmio Nobel da Paz feita pelo norueguês Cristian Tybring-Gjedde, presidente da delegação norueguesa Assembleia Parlamentar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). 

O fato, divulgado quarta-feira (9), traz alegria para a direita enquanto deixa a esquerda desesperada.

As informações dão conta que Trump se destacou por realização do acordo entre Emirados Árabes e Israel.

Isto foi apenas um dos fatos realizados pelo presidente americano, conhecido por suas resoluções através de negociações de paz.

Segundo o Jornal Cidade Online, o referido acordo é um "possível momento de virada" nas relações do Oriente Médio, que poderia vir a transformar toda a região.

"Por seu mérito, acho que ele fez mais tentando criar a paz entre as nações do que a maioria dos outros indicados ao Prêmio da Paz", disse Tybring-Gjedde.

Enquanto Trump deu aos Estados Unidos a oportunidade de sair de velhas políticas beligerantes que duraram décadas, no Brasil, destaca-se também no mesmo sentido, o inovador Jair Bolsonaro. Mudando totalmente a política de atraso que vinha afundando o país há décadas.

O que há de comum entre Trump e Bolsonaro é mesmo a paz. Ambos tem enfrentado os piores inimigos internos e externos, mas sempre com uma postura descente e baseados na verdade e na transparência.

Por isso mesmo, esses dois presidentes são peixes fora d'água para milhões de esquerdistas do mundo todo que jamais sonharam que poderiam ser enfrentados muito menos de maneira tão correta, o que mais os humilha.

Se depender dos brasileiros (o povo) Bolsonaro seria não só indicado, mas ganhador, pois jamais se viu tanta dedicação e capacidade de resolver os problemas da nação através da paz, o que é extremamente difícil.

Bolsonaro é hoje, conhecido em todo o mundo. Um dos nomes mais acessados pelos buscadores de Internet. E, claro que se por um lado é o herói da direita conservadora, por outro é o inimigo número um da esquerda que luta por um caos com as ideias de um governo mundial que praticamente tiraria a nacionalidade das pessoas e os transformaria em escravos de um sistema opressor em sem pátria definida.

As pessoas são muito diferentes em cada parte do mundo. E portanto merecem respeito em suas características sociais locais.

Cabe observar que a ideia comunista espalhada pelo mundo só tem trazido desgraça e escravidão. Não se conhece nenhum país comunista onde seus mandatários praticam, eles mesmo, o comunismo. Pregam uma coisa para o povo enquanto praticam outra.

Uma simples observação pela América Latina já comprova a desgraça que a esquerda faz por onde passa.

Assim, a direita do Brasil aplaude a indicação de Trump e espera que um dia seja a vez de Bolsonaro. Cabe lembrar que isso é algo difícil simplesmente pelo fato do Prêmio Nobel já não ser como no passado, mas hoje, muito politizado. (Leonardo Bezerra) Compartilhe