Cresce o número de mídias de direita em todo o país

22/12/2019

Explode o número de mídias de direita em todo o país em defesa do Governo Bolsonaro. Antes, totalmente desconhecidas, essas mídias crescem em número e qualidade a cada dia que passa.

Vai desde pequenos grupos de discussão no WhatsApp até canais de televisão como a Rede Record e SBT. Claro que todos tem o seu interesse, enquanto as pequenas, feitas pelo povo, tem o genuíno intuito de apoiar o governo e combater a esquerda, as grandes seguem o que é o mais interessante para elas no momento em termos de captação de audiência.

A Record, do Edir Macedo, viu na derrocada da Globo, provocada pela queda de audiência por ser contrária ao Governo, uma chance de chegar ao topo, e portanto, vem apoiando o Governo. E isso tem dado certo, as pessoas de direita migram para a Record em massa, cansados da má programação da Globo e da perseguição que esta faz a Bolsonaro.

O SBT, apresenta um apoio mais discreto, mas Silvio Santos sempre se mostrou amigo do Governo. A Band, fica encima do muro e ainda dá umas guinadas de esquerda de vez em quando. As outras TVs não apresentam tendências significativas.

As pequenas mídias foram as que mais cresceram e se sofisticaram. Há grupos muito bem articulados no WhatsApp e Facebook que geram milhares de visualizações e compartilhamentos por dia. O Youtube, virou febre na Internet com os Youtubers de direita acompanhando atentamente todas as manobras de Brasília e esclarecendo aquilo que as grandes mídias não fazem. O próprio Bolsonaro tem sua presença no Youtube todas as quintas ao vivo onde apresenta vários tópicos recentes de seu Governo.

Jornais e blogs de direita é o que não falta na Internet. Alguns de grande destaque com milhares de leitores diários e assíduos como é o caso do "Jornal Cidade on-line". Programas como "O Pingo nos Is", da Rádio Jovem Pan, pelo Youtube, também estão entre os mais frequentados pelos internautas de direita.

Alguns jornalistas individuais, como Alexandre Garcia, tem sua audiência cativa e diária no Youtube, e muitos outros seguem essa tendência.

Toda essa movimentação de divulgadores criou uma espécie de moda nas mídias. Ou seja; a moda agora é seguir as mídias de direita. Pelo computador e principalmente pelo celular, todos estão ligados num mesmo objetivo, lutar pela direita e pelo Governo Bolsonaro.

Isso mostra que ninguém mais segura o Brasil. Foi-se o tempo em que mídias poderosas dominavam as mentes das pessoas, como fez por muito tempo a Rede Globo. Agora o povo é quem decide. E usando a Internet, se unem, discutem, compartilham e de certa forma, até se humanizam numa espécie de irmandade que fala a mesma língua, que além do Português, é a língua da direita, dos valores judaico-cristãos, da ética, da família, da religião e principalmente da honestidade, coisa que não se via no Brasil há muito tempo. (Leonardo Bezerra)