Desmentindo o jornal francês Le Monde que diz que "Mandetta era o símbolo de combate ao Covid-19 no Brasil"

18/04/2020

Jornal francês cara de pau que passa o tempo atacando o Brasil ficou todo condoído com a dispensa de Mandetta e o classificou de símbolo da luta contra Covid-19 no Brasil. A foto de Mandetta abraçando pessoas de sua equipe assim que saiu do cargo, fez Le Monde passar vergonha; mostra como ele era fingido, pregava uma coisa e praticava outra. Mas sobre isso e todas as falcatruas do ex-ministro o jornal faz que não vê, pois o que importa mesmo para eles é difamar Bolsonaro.

O referido jornal recebeu o castigo rapidinho. Assim que colocou Mandetta nas alturas como o salvador da pátria e grande defensor do "isolamento", apareceu na mídia a famosa foto de Mandetta abraçando várias pessoas de sua equipe, inclusive todas sem máscara e demonstrando nenhuma preocupação com isolamento.

Assim, o herói dos jornais europeus mostrou sua cara rápido e sem nenhum pudor. Por isso mesmo Bolsonaro não cansa de dizer; "conhecereis a verdade e a verdade vos libertará". A verdade nesse caso, foi rápida e fulminante.

Para um país afundado na mais profunda miséria, que deu prêmio de cidadão de Paris ao Lula, não era de se esperar outra coisa senão proteger todo esquerdopata que aparece no Brasil.

E Mandetta era um prato cheio para esses jornais da Europa que mesmo vendo seus países destroçados pela esquerda, insistem em defender tudo que não presta seja de onde for, muitas vezes sem ter conhecimento suficiente para avaliar.

"O correspondente do diário no Brasil, Bruno Meyerfeld, escreve que o afastamento de um ministro da Saúde em plena crise sanitária mundial é "bombástico", mas não surpreendeu ninguém em Brasília." Escreve a RFI.

O próximo herói dos franceses certamente será Dória, que já anda dando entrevistas para mídias de fora como fez dia 16 para uma agência internacional de notícias:

"Estamos lutando contra o coronavírus e contra Bolsonarovírus. [...] Temos que enfrentar o presidente e proteger a população". Diisse.

Palavras ideais para uma mídia podre que ronda como urubus em busca de carniça na busca incessante de qualquer coisa que possa ser contra o governo de Bolsonaro.

Mas certamente, o tempo demonstrará quem tem razão e esses jornalecos mais uma vez passarão vergonha como aconteceu nesse caso em que seu grande herói da quarentena aparece abraçando pessoas. (Leonardo Bezerra)