Eduardo Bolsonaro explica porque o partido "Aliança pelo Brasil" não vai participar das eleições de 2020

11/02/2020

Uma explicação da máxima importância para todos os apoiadores de Bolsonaro foi dada pelo Deputado Federal Eduardo Bolsonaro, dia 7 na Câmara de Vereadores de Salvador. Apesar da grande esperança que toda a direita tinha em já poder votar em um candidato da "Aliança pelo Brasil", depois de conhecer os argumentos do Deputado, há de concordar plenamente que é melhor esperar.

Apesar de todas as dificuldades e enfrentamento com a esquerda em todos os setores, os apoiadores de Bolsonaro tem vivido cheios de esperança e com alegria de ver tantas pessoas boas, corretas e honestas no Governo Bolsonaro, como nunca se viu antes.

A criação do "Partido Aliança pelo Brasil", idealizado por Bolsonaro, cujos artigos definem muito bem como deve ser um membro do partido e seus candidatos, veio trazer ainda mais alegria para toda a direita pois não há brechas para enganos, falcatruas, corrupção e todos os males já conhecidos no meio político.

O estatuto do Partido é uma verdadeira obra de arte com relação ao bem, a manutenção dos valores morais e éticos que levam uma nação ao crescimento em todos os sentidos.

Com tudo isso, fica claro que todos tinham o maior desejo de conseguir votar em 2020 num candidato da "Aliança".

Entretanto isso não vai ser possível. Desde a captação das fichas com o apoio dos cerca de 500 mil apoiadores necessários para a formação oficial do partido, já se percebeu um entrave muito grande por parte da esquerda; cartórios suspeitos de não enviar as fichas, correios e enfim...Muitas dificuldades. Com tudo isso houve um atraso muito grande, sem contar a fato de que a aprovação tem ainda que passar por vários outros tramites por locais como dois tribunais superiores morosos e certamente aparelhados pela esquerda; STE e STF.

Por tudo isso, Eduardo Bolsonaro explicou que não quer que se repita o que aconteceu em 2018 quando o PSL "inchou" com a entrada de oportunistas e futuros traidores infiltrados em meio aos verdadeiros apoiadores.

"Então, a gente não quer que esse erro se repita. Se nós corremos para formar o Aliança, nesse momento, a gente vai ter menos de um mês para ter nossos quadros para 2020, candidatos a vereador e candidatos a prefeitos. Então eu acho que o mais saudável é a gente não criar o Partido antes de março, e deixar que ele seja criado depois de março para que ai a gente consiga realmente ver quem é quem e fazer um processo seletivo de melhor qualidade". Explicou Deputado.

Eduardo Bolsonaro ainda orienta os candidatos: "não vá para o PT, PC do B, PSOL ou PDT. Primeiro ponto, né, não vá para esses partidos de esquerda, porque não tem nada a ver com a gente. No mais, joga aberto. Se tiver que se filiar a um Partido agora, conversa e diz: 'olha, eu gosto muito do trabalho do Presidente Bolsonaro e gostaria que, quando o Aliança for feito, a gente tenha um diálogo para migrar para o Aliança".

Cabe lembrar, que o "Aliança pelo Brasil", segundo seu estatuto, é bem diferente de todos os outros partidos. A escolha de candidatos é algo muito rigoroso. Pessoas com passado sujo ou de esquerda não entram. Com isso, seria muito precipitado a escolha e lançamento de candidatos já para esta eleição. Assim, apesar do desejo enorme de votar em alguém do "Aliança", todos os aliancistas terão que esperar com paciência para finalmente em 2022 terem a sua disposição os melhores candidatos que o Brasil já teve. Todos tem que ter confiança absoluta em Bolsonaro, que tem demonstrado inteligência e acerto total em tudo que faz.

No momento, a escolha de candidatos tem que ser com base em gente da direita e principalmente naqueles que estão a favor de Bolsonaro, combatendo os impostos abusivos, promovendo o bem em seus estados e que nunca tenham sido corruptos ou desonestos. (Leonardo Bezerra)