Faixa puxada por avião com homenagem a Moro surpreende as praias de Santa Catarina

12/01/2020

Faixas com dizeres como; "Melhor que o verão é o Lula na prisão", já eram conhecidas nas praias de Santa Catarina. Dessa vez Luciano Hang, o idealizador, resolveu inovar. Faz uma homenagem ao homem que mudou o Brasil em termos de justiça e leis; "Moro Herói Brasileiro". Isso fez o delírio das multidões nas praias que aplaudem a cada vez que o avião passa com a enorme faixa.

Sérgio Moro, com sua fala mansa, sem nunca se alterar e uma inteligência brilhante além de conhecimentos profundos de sua área foi escolhido pelo "Financial Times", simplesmente como uma das 50 personalidades mais influentes da década.

Moro tinha tudo para ser mais um simples juiz interiorano como milhares de seus colegas. Nascido no norte do Paraná, formou-se numa faculdade de direito de Maringá e estava longe sequer em sonhar com o círculo São Paulo-Rio de Janeiro-Brasília onde atuam as maiores celebridades jurídicas do país.

Chamado por Lula de "juizinho do interior", Moro simplesmente veio para virar o Brasil de cabeça para baixo e fazer uma faxina antes jamais sonhada, incluindo como peça principal da limpeza o próprio Lula.

Com pouco mais de 40 anos, numa Vara Criminal de Curitiba, Moro se atreveu chamar para prestar contas à Lei o todo poderoso ex-presidente Lula. Era algo impensável. O círculo de poderosos que havia em torno do petista era incrivelmente forte. Incluía grandes empresários, políticos de todos os poderes, a população incauta que na época ainda não tinha acordado e o pior de tudo o deus do Brasil, o STF, cujos juízes, quase em sua maioria, havia sido colocado por Lula naquele trono inacessível.

Hoje, uma simples faixa de tecido, puxada por um avião nos céus de Santa Catarina, expressa; "Moro Herói Brasileiro". Uma homenagem singela a um dos maiores brasileiros dos últimos 500 anos de história do Brasil.

Sérgio Moro, é herói por sua coragem em enfrentar as pessoas mais ricas e poderosas do país. E também as mais perigosas. Nisso se inclui os milionários das empresas ligadas à corrupção, os grandes políticos e claro, a bandidagem, desde os pequenos traficantes até os mais poderosos chefes das facções criminosas.

Claro que a profissão de moro se tornou de grande risco com tantos inimigos acostumados a vida fácil extorquindo o país quase levando-o à falência.

De repente a Lava Jato, como ficou conhecida a operação de caça à corrupção veio como um rolo compressor sem fazer distinção de qualquer bandido, seja das drogas, do roubo ou do colarinho branco. Moro, de juiz do interior, de repente se tornou no homem mais odiado da esquerda. Lembrando que isto começou em plena era do PT, quando ninguém ousava discordar do governo.

Nisso fica comprovada a grande coragem desse homem manso e tranquilo que simplesmente mudou o Brasil.

Os inimigos não faltam. No congresso e na câmara, fazem de tudo para derrubar e aplainar suas ideias expressas no Pacote Anti-crime. E por último ainda tem que enfrentar a vergonha do país, o STF. Para se ter uma ideia, tudo que não presta no Brasil é inimigo de Moro, artistas, meios de comunicação, movimentos criminosos como PCC, MST, ONGs fraudulentas, movimentos sem ética como LGBTs e companhia, universitários esquerdistas, partidos políticos de esquerda e bandidos de todas as espécies.

Bolsonaro, assim que eleito, soube imediatamente reconhecer o valor de Moro, e o convidou para ministro. Dai surge essa dupla imbatível, onde fica até difícil enumerar suas qualidades de patriotas e de trabalho árduo em favor da sociedade. Mas o exemplo desses dois homens que jamais o Brasil sonhou que pudessem existir, tem mudado o país em tão pouco tempo. A criminalidade cai dia a dia. Cada vez mais políticos corruptos vão parar na cadeia. E as realizações se tornam inumeráveis a cada dia que passa.

Esses dois homens, um de fala mansa e tranquilidade que deixa seus inimigos sem ação, outro, alegre, descontraído e imprevisível tornando a vida de seus seguranças muito difícil. O único presidente do Brasil que tem coragem, "para de repente," parar o carro e entrar numa padaria para tomar um café ou numa feira para comer um pastel. Mas ambos, tão diferentes tem em comum, a extrema competência, visão antecipada, inteligência para definir o que é melhor para o povo e nenhum apego ao dinheiro. O Brasil está agora em boas mãos. Por isso em poucos anos, não será apenas um país de primeiro mundo, mas uma superpotência mundial. (Leonardo Bezerra)