Globo agonizante em decadência de audiência e financeira é forçada a pedir empréstimo bilionário no exterior

21/01/2020

A secessão das verbas do Governo promoveram demissões em massa e a redução de salários dos poderosos da emissora, que por sua vez passaram também a atacar o Governo. Mas nada disso adianta, enquanto o Governo cresce a Globo afunda de forma vertiginosa.

Agora a emissora anuncia "um novo modelo de gestão para 2020", terror dos funcionários pois com isto está previsto 2500 demissões, o que representa 16,7% de seus funcionários.

Segundo o que foi informado, trata-se de uma fusão numa só empresa a TV Globo, Globosat, Globoplay, Globo.com e a Som Livre, tendo inclusive um departamento pessoal único.

A poderosa emissora dos Marinho, conhecida por colocar e tirar governos segundo suas conveniências já não sabe mais o que inventar para se manter de pé. Seus programas perdem audiência a cada dia que passa até para redes pequenas. Record e SBT, passaram a perna na gigante em vários horários.

A crise é completa e atinge todos os ângulos, moral, de audiência, de captação de recursos e financeira. Por isso, para tentar conseguir recursos para sanar uma dívida de 2012, com vencimento em abril de 2022, a Globo sai em busca desesperada de empréstimo de 1,25 bilhão de Reais no exterior.

Segundo o Jornal Cidade Online, foram realizados encontros na última semana entre representantes da emissora e investidores em Boston, Los Angeles, Londres e Nova York.

Acostumada a mamar nas tetas dos governos de esquerda que praticamente pagavam para manter seus roubos e falcatruas longe dos holofotes, a rede se viu em apuros desde o início do Governo Bolsonaro e a crise só foi piorando.

Por uma lado a secessão de verbas com aquelas famosas propagandas inúteis que os governos anteriores faziam, apenas para jogar dinheiro nos cofres da emissora, segundo, despertados pelo sentimento patriota e da busca do que é honesto, correto e ético, inspirado por Bolsonaro, a população abriu os olhos para ver as misérias promovidas pela emissora e a audiência caiu vertiginosamente.

Acompanhando a quede de audiência, inevitavelmente vem a queda de anunciantes que se deu por dois motivos. Um deles, a própria falta de audiência afugenta os anunciantes e outro é que empresas sérias não querem ver mais seus nomes anunciados por um meio que passou a ser odiado pelo povo.

Apesar dessa percepção bem clara de que o povo deixou de gostar da Globo e passou a perceber seus erros e a critica-la em todos os sentidos, a referida emissora não dá o braço a torcer, e a cada dia faz de tudo para agredir a imagem do Governo e a população de bem. Isso vai desde agressões diretas ao Governo até o simples silêncio diante de seus grandes feitos.

Com isso, praticamente dá um tiro no pé e só afunda. A mais recente trapalhada; assim que Regina Duarte recebeu o convite de Bolsonaro para a pasta da Secretaria da Cultura a emissora teve como sua primeira reação o anuncio de seu inevitável desligamento. Isso já era esperado pois a atriz era a ovelha negra do quadro da emissora.

Conclui-se que Bolsonaro não está afundando a Globo. Quem a afunda é o próprio ódio que emana de seus mandatários, que não conseguem ter a percepção de que quem é contra esse governo é contra Deus. E isso já ficou manifesto em inúmeras ocasiões. (Leonardo Bezerra)