Globo em derrocada; perde contrato com a Libertadores, sem campeonatos nacionais, fórmula um, carnaval e audiência em queda

08/08/2020

A poderosa que tirava e colocava governos, imbatível em audiência e que vivia pendurada nas tetas do governo do PT agora é uma sombra com os dias contados. Tudo começou ainda na campanha de Bolsonaro, quando resolveu que ia derrubar o candidato a todo custo.

Na época da candidatura de Bolsonaro, ninguém dava a mínima para o candidato honesto e que lutava contra tudo e contra todos por um Brasil voltado para o bem, para a verdade, honestidade. A turma da Globo nem de longe sonhava que aquele humilde deputado, que durante quase trintas anos pregara o bem e a honestidade para uma Câmara vazia seria em breve seu pesadelo.

Bolsonaro não precisou nem precisa fazer nada contra a Globo, apenas ser um governo honesto e cobrar os milhões de impostos atrasados já basta.

Mas não ficou só nisso. O novo governo percebeu e brecou a enxurrada de dinheiro que saia dos cofres públicos para alimentar a Globo.

Claro que a Globo sempre tentou responder a altura. Perseguição implacável ao governo. Mas por incrível que pareça, quanto mais atacava, mais Bolsonaro crescia em popularidade, chegando hoje a ser a pessoa mais querida do Brasil em número de adeptos.

Se por um lado Bolsonaro sobe, por outra a Globo desce e seu fechamento não é mais se vai acontecer, mas quando. A pandemia também deu uma ajudazinha. Enquanto a emissora não parava de alardear os números de mortos e tentava prorroga-la ao máximo, este mesmo fato se virou contra a emissora tornando inviáveis os grandes eventos que geravam milhões como o carnaval.

No futebol, a nova lei do governo que permite que o time em evidência escolha quem vai transmitir, praticamente tirou a emissora da jogada.

Agora a Rede Globo teve que rescindir seu contrato de transmissão da Copa Libertadores, que iria até 2022, simplesmente por não ter dinheiro para pagar.

Audiência em queda, portanto anunciantes longe. E a questão da emissora ir diretamente contra Bolsonaro, tornando-se inimiga do povo, é outro fator para afugentar anunciantes que não querem ver seus produtos numa emissora que desagrada os brasileiros.

Muitos artistas foram dispensados neste último ano. Não bastasse isso, vem ai novo escanda-lo. A Receita Federal intima os artistas a apresentarem explicações detalhadas do porquê fecharem contrato com a emissora como Pessoa Jurídica e não como pessoa física, com o intuito de pagar menos impostos. Enquanto a Pessoa Física paga 27,5% Pessoa Jurídica (empresa) paga de 6% a 15%. E a Receita Federal exige multa de 150% mais juros dos últimos 5 anos.

Portanto, aqueles espertinhos que abriram empresas com o único intuito de fechar o contrato com a emissora fugindo dos 27,5% agora vão ter que dar boas explicações ou devolver os milhões.

Por outro lado, concorrentes fazem a festa. Tanto com suas audiências subindo, de pessoas migrando da Globo, como diante de novas oportunidades com os anunciantes. Record, SBT, CNN e até a Band, que também é contra o governo, estão subindo a cada dia que passa.

O povo tem demonstrado seu desgosto com a Globo e isso algumas vezes na própria tela da emissora. Já são vários os casos em que pessoas do povo, entram na frente de reportagens ao vivo para demonstrarem seu desagrado. Assim, ser repórter de rua da Globo, tornou-se tarefa difícil. Mesmo porque ninguém mais quer dar entrevista para a emissora. (Leonardo Bezerra) DEIXE SEU COMENTÁRIO