Globo em queda livre para o fim não desiste de atacar Bolsonaro

28/12/2019

A Globo, mesmo em plena derrocada em queda livre para o fim, não desiste de atacar Bolsonaro de todas as formas. Agora já de forma explícita de maneira descarada e sem nenhum rodeio, com isso destruindo a si mesma mostrando que seus responsáveis e jornalistas não tem um pingo de caráter indicando sua verdadeira face que por décadas tentaram manter oculta da população.

Acostumada ao grande poderio, colocava e tirava governos segundo seus interesses, por décadas teve domínio absoluto sobre a nação brasileira, ditando moda, derrubando pessoas e concorrentes que valorizavam a ética. Era realmente poderosa ao ponto de ninguém sequer supor que um dia, um homem simples e honesto vindo de uma carreira política sem muitos alardes pudesse derruba-la. 

Você pode também ouvir este artigo no Programa Pauta do Dia, em nossa página inicial

Mas isso aconteceu. A primeira preocupação da referida emissora foi quando percebeu o grande potencial político e estratégico que havia em Jair Bolsonaro já na época de sua campanha. Era incrível como um homem sem nenhuma verba de partidos e sem nenhum espaço nos grandes meios como TV e rádio, pudesse conquistar tantas pessoas pelo Brasil afora... Mas o segredo era um só; "a verdade". O povo estava cansado de mentiras e Bolsonaro passou então a representar todo o anseio do povo.

Quanto mais crescia as chances de Bolsonaro, mais esperneava a Globo e iniciava uma campanha ferrenha por um lado atacando-o e por outro fazendo de tudo para promover seu concorrente, o poste de Lula.

De nada adiantou e Bolsonaro venceu. E não esqueceu de tudo que passou com os ataques recebidos, mesmo porque a emissora não deixou de ataca-lo. Ainda acreditava que podia tira-lo do poder.

Bolsonaro nunca fez nada contra a Rede Globo, apenas deixou que ela mesma se denunciasse com suas mentiras e falcatruas na tentativa de derruba-lo. E não deu outra. Na tentativa desesperada numa luta feroz contra o Presidente a Globo mostrou a uma população que já estava encantada pelas ideias do bem, da ética e da verdade, quem ela era. A audiência caiu vertiginosamente e anunciantes começaram a sair.

Por outro lado, o plano do Governo em reter os gastos milionários que eram repassados para a emissora e as concorrentes como Record e SBT aliadas do Governo combatendo a emissora com uma programação sadia, foram a gota d'água em direção a uma queda vertiginosa e sem retorno.

Já sem nenhuma esperança e com uma equipe cheia de ódio contra o Governo começaram de forma descarada os ataques que são muitos mas vale enumerar alguns: cara feia e desinteresse de jornalistas ao anunciar algo de bom relativo ao Governo, por duas vezes jornalista faz de conta que se engana e menciona "ex-presidente" ao se referir a Bolsonaro, Chico Pinheiro condena o número escolhido pelo Presidente pela Aliança Pelo Brasil, ao ser obrigada a dar boas notícias do Governo a emissora omite o nome de Bolsonaro, caso Marielle Franco deixa a emissora no ridículo ao anunciar inverdades e a coisa não para mais.

A equipe da emissora dos Marinhos apenas esquece que a população está vacinada contra suas falcatruas e por mais que faça nada consegue abalar ou tirar a credibilidade do Governo.

A secessão das verbas do Governo promoveram as demissões em massa e a redução de salários dos poderosos da emissora, que por sua vez passaram também a atacar o Governo.

Agora a emissora anuncia "um novo modelo de gestão para 2020", terror dos funcionários pois com isto está previsto 2500 demissões, o que representa 16,7% de seus funcionários. Segundo o que foi informado, trata-se de uma fusão numa só empresa a TV Globo, Globosat, Globoplay, Globo.com e a Som Livre, tendo inclusive um departamento pessoal único.

Nascida oficialmente em 30 de dezembro de 1957 com uma concessão assinada por Juscelino Kubitschek à Rádio Globo, a emissora só veio iniciar a TV Globo, canal 4 em 26 de Abril de 1965.

Assim como teve data de início também já tem data de fim que será pouco antes do término do primeiro mandato de Bolsonaro em 2022. Isto porque se a emissora não saudar seu débito milionário que tem com o Governo e não mudar sua atitude, não há a menor chance de nova concessão.

Como nenhuma das duas alternativas vai acontecer até lá, a Globo vai deixar de atormentar milhões de brasileiros com seus personagens de mau caráter, sua falta de ética e imoralidade tornando-se provavelmente numa simples TV pela internet já sem nenhum prestigio e poder.

Estamos a caminho do fim de uma era de misérias onde milhões de jovens foram afetados por uma programação sem respeito à moralidade, à tradição, à honestidade e aos bons princípios que formam o caráter de um homem ou de uma mulher. As perdas de formação humana foram muitas para o povo brasileiro, mas só essa esperança do fim dessa praga terrível que assolou as mentes de gerações de brasileiros, já é um consolo. E tudo isso graças a um homem valoroso, de ideias firmes e caráter irrepreensível, o nosso valoroso Presidente Jair Bolsonaro. (Leonardo Bezerra)