Governadores de 24 estados vão manter a quarentena contra a vontade de Bolsonaro até a fome chegar nas casas

26/03/2020

Numa atitude de desrespeito ao mandatário máximo da nação, em reunião particular, 24 governadores principalmente comandados por Dória, resolveram prosseguir com quarentena nos estados, mesmo em cidades onde não há nenhum caso, com o puro intuito político de prejudicar o governo gerando caos com desemprego em massa para iniciar uma crise profunda para poderem culpar o presidente Bolsonaro.

Depois que Dória recebeu tremenda reprimenda do presidente Bolsonaro na reunião online pela parte da manhã, seu ódio cresceu ainda mais e já a tarde, em reunião particular com todos os governadores, articularam para a manutenção da quarentena.

Acataram as recomendações de Dória e resolveram pelo isolamento os governadores dos seguintes estados: AC, Al, AP, AM, BA, CE, ES, GO, MA, MT, MS, MG, PA, PB, PR, PE, PI, RJ, RN, RS, SC, SP, SE e TO;

Indeciso: governador do DF;

Não se manifestaram: governadores de RO e RR.

Cabe lembrar que em sua grande maioria os governadores são de partidos de esquerda, e portanto contra Bolsonaro.

As decisões foram de cunho puramente político em revanche contra as ideia do governo. Não foi em nenhum momento, levado em consideração o pensamento do povo que está enjaulado em casa vendo os viveres acabar em sem recursos para novas compras.

Também não foi levado em consideração milhares de cidades pequenas onde não há nenhum caso e portanto, não seria o momento de quarentena. Muito menos se pensou nos comerciantes com suas portas fechadas e as cobranças de fornecedores chegando.

Foi deixado de lado em suas decisões, as crianças pequenas, muitas que consomem leite e produtos caros, que normalmente já era difícil para adquirir por seus pais que sobrevivem com salários de miséria. Enfim, milhares de casos do dia a dia de sofrimento da população foi totalmente esquecido com um único intuito, "vingar-se de Bolsonaro" e não acatar e nem sequer, antes de decisões, analisar seu pedido.

Na quarentena horizontal, em que todos ficam em casa, a economia pode chegar a colapsar em 3 ou 4 semanas. Com isso se instaura a desordem e de qualquer maneira as pessoas vão para as ruas. Nisso, juntando-se os espertalhões do PT, MST, OAB e vária outras organizações promove-se desordens de toda ordem para tentar derrubar Bolsonaro.

Ao contrário; na quarentena vertical (sugerida por Bolsonaro) somente os grupos de risco ficam em casa e os outros voltam a vida normal, mas sempre com os devidos cuidados de higiene. Haveria sim, um aperto econômico, mas não a destruição total. A curva da epidemia alcançaria um achatamento normal e em menos de dois meses tudo estaria normal sem o sacrifício da economia, perdas de empregos, falências, etc.

Em entrevista a uma rede de TV ontem Maia veio com a história de que se as pessoas saírem para trabalhar acabarão trazendo vírus para casa onde estão seus idosos e os colocaria em risco.

Ele só esqueceu de um detalhe, não é em toda casa que há idosos, aliás na maioria não tem. Há milhões de casais jovens que nem filhos tem. Há milhões de pessoas que moram só. Não é justificável essas pessoas jovens, produtivas, que passam suas vidas longe de idosos, ficarem agora enjaulados vendo o dinheiro acabar e seus patrões indo a falência.

O Brasil está dividido. Há aqueles de boa vida, solteiros, filhos de famílias abastadas, outros que suas atividades lhes permite trabalhar online em casa e ainda aqueles que tem meios financeiros para ficar todo o tempo dentro de casa. Estes não tem nem ideia de que há milhões de pessoas que já estão com a geladeira e os armários vazios e não há mais dinheiro para ir as compras nem uma empresa onde pedir um vale de emergência pois o patrão está em situação ainda pior com as portas fechadas.

A mídia, por outro lado, passa o dia inteiro falando e alardeando o coronavírus. Nenhuma mídia e em nenhum momento teve a preocupação com as pessoas normais; trabalhadores desesperados, pais, mães vendo o alimento acabar e não ter mais recursos para comprar. E tem muita gente que ainda acha que Bolsonaro está errado. (Leonardo Bezerra)