Moro pede demissão por não concordar com saída do diretor geral da Polícia Federal

24/04/2020

O impossível aconteceu. Sérgio Moro pede demissão unicamente porque não aceitou a saída do diretor da Polícia Federal. Até hoje de manhã tudo indicava que tudo isso não passava de um boato da mídia que sempre deseja o pior. Mas realmente o ex-ministro acha que se trata de uma demissão política que ele não concorda.

Isso não é nada bom para o governo que agora fica enfraquecido e até sujeito à corrupção. De toda maneira, a Lava Jato já vinha sendo cercada por todos os lados, no Congresso e no STF, com inúmeros inimigos entre os corruptos. Tanto é que grande parte dos corruptos presos foram soltos pelo STF, incluindo o pior deles, Lula.

Agora resta aos brasileiros que já se encontram em uma situação difícil, ver como vai ser na questão da Lava a Jato. Os presos continuam sendo solto aos bandos e Sérgio Moro nunca pode fazer nada contra isso.

O desgaste do ex-ministro não é tanto com relação a Bolsonaro, que tem posição firme e quando decide mudar alguém, muda mesmo, mas sim com relação a todas essas medidas principalmente do supremo que age como se não houvesse justiça no que se refere aos criminosos. Isso gera uma decepção muito grande para qualquer ministro de justiça e é muito difícil algum deles, se for honesto, durar por muito tempo.

De toda maneira o ex-ministro não devia ser tão duro e sim acatar a decisão de seu superior que certamente sabe o que é melhor e tem direito para isso.

A esquerda vai certamente ficar eufórica com a saída do principal inimigo dos corruptos. Mas certamente Bolsonaro encontrará alguém que possa dar continuação ao trabalho de Sérgio Moro. (Leonardo Bezerra) DEIXE SEU COMENTÁRIO