Índios não querem mais viver na idade da pedra, mas ONGs estrangeiras insistem em reservas para continuar roubando o país

19/02/2020

Bem a tempo estão sendo tomadas as devidas medidas sobre a Amazônia e a questão indígena. Com isso, o Governo Bolsonaro deixa as ONGs estrangeiras que há muito vem roubando e deturpando os índios, sem ação. Isso cria grande repercussão no exterior, pois muitos países estavam acostumados a fazer da Amazônia seu quintal. (leia mais)

Bolsonaro é o primeiro Presidente a ter uma visão perfeita do que é um índio brasileiro na atualidade. Não é mais aquele selvagem com arco e flecha da época do descobrimento, mas sim um brasileiro que deseja ter os mesmos direitos dos outros e explorar suas terras e suas riquezas para sua sobrevivência.

Atualmente, com a questão das reservas, os índios ficam confinados em territórios demarcados onde teoricamente nem eles nem outras pessoas podem tocar no meio ambiente.

Mas o que acontece é bem o contrário. Enquanto índios vivem numa pobreza extrema, plantando pequenas roças e da caça e pesca, milhares de pessoas com dinheiro e muitos meios invadem seus territórios, com plantações, cria de gado, mineração, madeireiras e ONGs estrangeiras que além de riquezas minerais ainda por cima deturpam os índios com ideologias da mais diversas.

Bolsonaro criou o Conselho Nacional da Amazônia, colocando como presidente ninguém menos que o seu vice, o general Hamilton Mourão, com a finalidade de acabar com a farra de muitos que exploram as riquezas da Amazônia de forma ilegal e afugentar de vez os estrangeiros. Se tem alguém que deve usufruir das riquezas dos territórios indígenas são os próprios índios.

"O Ministério do Meio Ambiente, muito ligado à preservação, obviamente; o Ministério da Economia, a questão do desenvolvimento, que é o mais complicado, o desenvolvimento sustentável - já que proteção e preservação, apesar de serem ações complexas, são mais objetivas e fáceis de serem conduzidas". Declarou Mourão.

Pelo visto, o país que mais se tocou com as medidas do Governo Bolsonaro foi a França que faz em seus jornais o maior estardalhaço sobre o assunto. Por exemplo; Le Figaro, capacho do governo francês estampou a seguinte manchete em sua edição do dia 11: "Bolsonaro quer espoliar os índios da Amazônia". E explora em suas páginas a ideia de que índios querem viver uma vida livre e selvagem, andar nu e servir de bicho de zoológico para estrangeiros ver.

Uma ideia furada pois o que os índios querem mesmo é uma integração e participação. Hoje, muitos índios estudam, trabalham como qualquer pessoa e querem o melhor para seus filhos.

A ideia de Bolsonaro, não é roubar os índios como fazem os estrangeiros, mas sim facilitar-lhes o uso de suas próprias riquezas que vem sendo delapidadas por aproveitadores que invadem seus territórios de forma clandestina.

A Constituição de 1988, criada com o crivo da esquerda, veio dar uma falsa proteção aos índios e favorecer as ONGs estrangeiras que desde então fazem a festa em 14% do território nacional com total impunidade trazendo doenças e desolação aos índios.

A hora do basta chegou e Bolsonaro vai ser lembrado no futuro como o libertador desses povos que viviam como animais de zoológico para estrangeiro ver. Essa regulamentação e organização da Amazônia é uma bela iniciativa e mesmo uma questão de soberania nacional. (Leonardo Bezerra)