Maia e Alcolumbre com inveja criticam atitude de Bolsonaro nas manifestações

16/03/2020

Não só Maia e Alcolumbre mas inúmeros esquerdistas ficaram morrendo de raiva e inveja diante do grande sucesso das manifestações e do apoio declarado da nação a Bolsonaro. Essa turma que passou semanas assustando o povo com coronavírus, não esperavam que os brasileiros passariam por cima de tudo em seu apoio ao presidente.

Sem muito apoio dos organizadores, que ficaram com medo de serem responsabilizados se algo ocorresse de errado nas manifestações, o povo fez o movimento a sua maneira. Espontâneo e sem a menor necessidade de chamado ou carro de som. Isso deixou ainda mais furiosos os esquerdistas pois ficou bem claro o amor do povo.

Em São Paulo, algo inusitado, apareceu uma multidão de motoqueiros ajudando a fechar a Avenida Paulista. Espontaneidade e criatividade foi o que não faltou.

15 de março, um dia histórico e de alegria para toda a direita, que fez manifestação até em cidades fora do país. E de tristeza e ódio para a esquerda. Maia expressou sua bronca em comunicado ao jornal Estado de São Paulo:

"Por aqui, o presidente da República ignora e desautoriza o seu ministro da Saúde e os técnicos do ministério, fazendo pouco caso da pandemia e encorajando as pessoas a sair às ruas. Isso é um atentado à saúde pública que contraria as orientações do seu próprio governo. A economia mundial desacelera rapidamente; a economia brasileira sofrerá as consequências diretas",

Já Alcolumbre, que ao que parece anda com mais medo que Maia, disse ao mesmo jornal:

"Com a pandemia do coronavírus fechando as fronteiras dos países e assustando o mundo, é inconsequente estimular a aglomeração de pessoas nas ruas".

O plano coronavírus montado pelos políticos de esquerda e pela imprensa fracassaram completamente diante do ânimo e ímpeto do povo contra a corrupção.

É de deixar qualquer um morrendo de rir a que ponto chega a criatividade dessa esquerdalha movida pelo ódio. A jornalista Vera Magalhães do Estadão, alegou que Bolsonaro cometeu crime de "responsabilidade sanitária". Alguém já ouviu falar disso? Haja criatividade.

Apesar dos avisos que Bolsonaro deu na quinta-feira, qualquer pessoa de bom senso sabe perfeitamente que ele não tinha como barrar de ir para as ruas uma multidão de milhões de brasileiros insatisfeitos com o Congresso e STF. Por mais que Bolsonaro implorasse que o povo não fosse para as ruas, isso não iria acontecer.

Agora ficam inventando que o povo correu risco, que a culpa é do presidente. Aliás isso não é novidade. Tudo que acontece a culpa é do presidente. Só as coisas boas que acontecem em todos os ministérios é que não são lembrados nem atribuídos ao presidente.

Feito a lição de casa, agora é hora dos brasileiros começarem a cobrar os generais. Afinal a manifestação ocorreu por ideia deles. Agora é a vez de algo de bom acontecer para o Brasil com relação aos corruptos, do contrário terá sido em vão as manifestações. (Leonardo Bezerra)