O ateísmo não combina com o Governo

13/12/2019

O pensamento de nosso Governo, Jair Bolsonaro é cristão e isso ficou bem expresso na ata de fundação de seu Partido Aliança para o Brasil. Por outro lado, encontramos no Brasil o ateísmo dos partidos ligados ao comunismo e principalmente de artistas e de milhares de pessoas que embora não declarando, não acreditam em nada.

Essas pessoas estão propensas a criar coisas más, e é o que tem feito. Basta ver artistas que recentemente lançaram o filme "A primeira tentação de Cristo" e num passado recente, aquelas exposições imundas do Santander. Dá para se ter uma idéia de que essas pessoas são totalmente contrárias à fé e ao Governo.

Junto com essas pessoas vem a desonestidade e principalmente a corrupção. Claro que a mentira também faz parte. Quem não lembra de alguns desses personagens de esquerda se fazendo de bonzinhos ou de corretos indo à missa ou aos cultos? Mas que ninguém se engane, puro lobos em pele de cordeiro.

As idéias que levam ao ateísmo são antigas e vem do surgimento de duas correntes de pensamento contrárias o criacionismo e o evolucionismo.

O nosso mundo ocidental no que tange ao pensamento sobre a criação é praticamente dividido em dois. De um lado, a corrente cristã, principalmente católica, que aceita e prega a criação do mundo e do universo com tudo que contém, daquela forma já conhecida por todos nós, ou seja; Deus criou o mundo e enfim, a criação inteira a partir do nada e segundo sua vontade.

Este pensamento atualmente é conhecido como criacionismo. Por outro lado, a partir do século dezenove, muitos países, principalmente os de língua inglesa, passaram a crer na teoria da evolução, de Charles Darwin, (1809-1882) também conhecida como evolucionismo, que teve seu auge com o lançamento do livro "A origem das espécies".

Essa corrente de pensamento veio dividir completamente os homens de seu tempo e muitos das décadas seguintes chegando até os dias atuais.

O pensamento era: "Ora, se a criação não provém de Deus, mas do evolucionismo, não há porque crer e aceitar esse Deus". A sociedade vivia um sonho de liberdade, o onde tudo é permitido, já que não tinha que num final, prestar contas a ninguém, junto com o início da era industrial onde parecia ao homem tudo poder e saber. É praticamente o que vivemos nos dias atuais no que tange aos ateus.

A partir do evolucionismo surgiram muitas outras idéias e o capitalismo atrelado ao materialismo, o comunismo e tudo isto se instalou de vez principalmente na Europa. Além do Reino Unido, um dos países que mais sofreram sua influência foi a França, tradicional inimiga da igreja Católica.

Atualmente a teoria da evolução está em plena decadência. Cérebros um pouco mais inteligentes logo percebem a quantidade de erros nela apresentada. Mesmo porque é uma teoria sem nenhuma comprovação.

O criacionismo baseado na fé é como se fosse um sexto sentido, dado por Deus a quem ele quer, que percebe toda a criação a partir da fé. Aliado a isto está a palavra de Deus nas escrituras que jamais falharam. A Igreja tem ainda um argumento infalível para tratar o evolucionismo.

Na verdade existe um certo evolucionismo, não da forma como os cientistas crêem, sem a presença da fé, mas de uma forma extraordinária e criada pelo próprio Deus. É o seguinte pensamento muito estudado como dogma da Igreja Católica; "A providência divina". Deus, em sua infinita bondade e vendo que tudo que criou era bom, jamais deixaria desamparados suas criaturas, pois se assim o fosse, não subsistiriam aos tempos e aos meios hostis.

Assim, a providência é isso que os cientistas tentam o todo custo manter como evolucionismo. É simplesmente a mão de Deus através dos séculos guiando sua criação segundo um propósito e um fim. Mas não da maneira fantasiosa e arrogante da ciência, mas de forma infalível e dentro de uma extrema inteligência que o humano não consegue sequer entender.

Atualmente o criacionismo derrubou totalmente o evolucionismo. Mas para o ateu, que pretende justificar seus erros ainda existe. Para eles é um mundo livre onde se pode praticar qualquer aberração sem nunca ter que prestar contas nem aqui nem depois da morte. E assim agem o tempo todo e se tornam verdadeiros inimigos do bem e portanto dos governos de direita.