Senadores aprovam reajuste de salários para funcionalismo público no pior momento do país

20/08/2020

Com milhares de empresas fechadas, sem gerar impostos e saída de milhões para atendimento à pandemia e os gastos normais de manutenção de toda a máquina administrativa, o governo está em situação extremamente crítica no que se refere ao financeiro. Mesmo assim, o Senado derruba o veto do presidente que impedia que a verba da saúde fosse usada para bancar aumento a servidores públicos.

Isto mostra mais uma vez que no Brasil, o único que está sustentando o país e por incrível que pareça até crescimento em vários setores é o administrativo. Os outros poderes não colaboram e ao contrário, fazem de tudo para atrapalhar o governo.

O aumento salarial de servidores públicos é totalmente incabível no momento atual. Se nota a luta desesperada do presidente e de Paulo Guedes para manter o auxílio emergencial para as pessoas desempregadas e sem recursos por mais um tempo. E se há uma classe de brasileiros que em nada foram afetados é justamente o funcionalismo público.

Estes, não viram seus locais de trabalho fechados. Não tiveram redução de salário. Ao contrário, muitos setores públicos fecharam para o público mas seus funcionários continuam trabalhando de casa quando possível e de toda maneira recebendo e com sua estabilidade de emprego garantida.

E justo para estes, os mais afortunados, é que o Senado libera reajustes salariais. Claro que isso interessa a eles, pois também são servidores públicos.

O governo teve nestes últimos meses um verdadeiro desperdício de dinheiro promovida pelos governadores e prefeitos. Por um lado, desvios com o superfaturamento de obras e de compra de equipamentos, que agora começam a ser descobertos, por outro, a construção de hospitais de campanha milionários e inúteis, muitos dos quais estão sendo desmontados sem nunca terem recebido nenhum paciente. De tudo foi feito para prorrogar a pandemia e extorquir o governo o máximo possível com fins políticos, de prejudica-lo.

Mesmo assim, enquanto isso tudo transcorria, a popularidade de Bolsonaro só crescia entre os brasileiros. Quem faz Bolsonaro crescer não é ele mesmo. São seus inimigos com atitudes tão erradas que fazem as obras do governo se agigantarem diante do povo; fica a nítida impressão de que quem trabalha de verdade em prol dos brasileiros é o presidente com seus ministros.

Agora fica mais este ponto negativo para o Senado que certamente será acompanhado pela Câmara. Uma coisa é certa, as eleições estão chegando e o povo não esquece. (Leonardo Bezerra)   COMPARTILHE