Traição de Moro; críticas explodem nas redes sociais

25/04/2020

Até ao meio dia, logo depois da coletiva de Moro, apesar de perplexos e sem acreditar no que tinha acontecido, os internautas ainda expressavam um sentimento de perda e de tristeza. Mas depois da fala de Bolsonaro, as 17h, tudo se esclareceu e mudou. Quase que imediatamente a opinião das pessoas de direita mudou o conceito de "herói para vilão" e as críticas ao ex-ministro se multiplicaram pelas redes sociais.

Foi muito fácil entender que Moro pediu demissão por causas fúteis e baseado mais em orgulho próprio que em realidade. Fácil entender que o ex-ministro vinha se arrastando no comodismo e seu nome cada vez mais em queda devido ao seu desinteresse em tudo que vem acontecendo no Brasil sem receber nenhuma resposta do Ministério da Justiça.

Diante da fala de Bolsonaro que com categoria, foi um verdadeiro tapa, onde ficou claro também que Moro tem interesses políticos e a explicação do abandono de Moro ao caso da tentativa de assassinato do presidente, entre outros mencionados, ficou bem claro que Moro já não era aquele herói do povo.

A partir daí as redes sociais explodiram em críticas ao ex-ministro. Quem tinha alguma dúvida da traição logo se deu conta. Aos poucos foram juntando uma coisa com a outra.

Olavo de Carvalho disse: "Sergio Moro mostrou ser mais devoto à sua biografia que à pátria".

Eis alguns pontos mencionados pelos internautas que praticamente jogam a administração de moro no lixo:

1) Não se pronunciou contra os inúmeros trabalhadores apanhando na rua;

2) Não deu uma nota a respeito do Rodrigo Maia e Pres. da OAB ter encomendado o impeachment do presidente ilegalmente;

3) Não deu uma palavra sobre as constantes interferências do legislativo e judiciário no Executivo;

4) Disse em coletiva: "Preciso defender o STF";

5) Bolsonaro, quando o Intercept, congresso e STF queriam a cabeça de Moro, o presidente não poupou defesas a ele;

6) Não deu um passo em quem mandou matar Bolsonaro;

8) Esposa de Moro defendeu Mandetta, além de ter um escritório de advocacia. Forte ligação a OAB;

9) Lava Jato existe antes de Sérgio Moro e sobreviveu a era petista;

10) Moro não estava ao lado de Bolsonaro nas eleições. Ou estava;

11) A esquerda defendia o diretor da PF: Veleixo;

12) Como a imprensa sabia de sua demissão e por que a assessoria do ministro mentiu que não havia demissão?

13) Se Bolsonaro "faz parte do sistema", por que querem tanto tira-lo do poder?

14) Veleixo, diretor que Moro defende, disse que Adélio agiu como "lobo solitário";

15) Não tomou nenhuma providência sobre abusos dos governadores;

16) Quase todos os corruptos e bandidos presos em sua gestão estão soltos e ele não fez nada a respeito;

17) Juízes soltam líderes do PCC e Moro não se pronuncia;

Enfim, há várias listas nas redes sociais de pequena lembranças dos internautas. Todas verdadeiras como um grito de alerta para que ninguém se engane;

Por último cabe destacar suas amizades totalmente fora do contexto da política de Bolsonaro. (a foto que ilustra esta matéria diz bem do que estamos falando).

A esquerda comemora o homem que prendeu seu chefe. Enquanto isso a direita se dá conta que Bolsonaro sempre tem razão e sai desse episódio fortalecido e pronto para escolher novo ministro. Ser for um general, melhor ainda. Ninguém é insubstituível. (Leonardo Bezerra) DEIXE SEU COMENTÁRIO